Infectologista alerta para o uso de repelentes em crianças

Bebês abaixo dos seis meses não devem utilizar nenhum tipo de repelente, deve-se usar apenas as barreiras de proteção – roupas de manga comprida em ambientes onde existam menor chance de circulação do mosquito –, crianças entre seis meses e dois anos de idade podem usar repelentes a base de IR 3535. Já crianças entre 2 e 12 anos, repelentes a base de DEET com concentração de 10% ou então a Icaridina, também de uso infantil. Deve-se ficar atento à faixa etária e ao produto. A idade e a concentração dos produtos que são liberados pela Anvisa são os mais importantes. As mães devem ficar atentas também ao intervalo entre uma aplicação e outra do produto nos filhos e nos adultos. A frequência da aplicação em crianças não deve passar de três vezes por dia. Caso o produto seja utilizado junto com outro, como o filtro solar, os médicos orientam o uso do filtro solar antes do repelente, com um intervalo de pelo menos 15 minutos para que o filtro seja absorvido pela pele com posterior aplicação do repelente. A recomendação é que não se aplique nas mãos, pois elas podem levá-las à boca e, com isso, podem causar algum dano. O ideal é passar em todas as áreas expostas do corpo, como também em cima da roupa.

 

Fonte: Ministério da Saúde

  • teste